Quintais


"O reflorestamento da Fazenda Lavrinha teve início em 1988, com muito esforço de alguns dos habitantes daquela região. Estes ajudaram no desenvolvimento da nossa proposta, deixando de roçar os pastos ali existentes, favorecendo a regeneração das espécies nativas e promovendo atividades permanentes de plantio de mudas de frutíferas e florestais, além de plantio direto de sementes. Muitas mudas de araucárias foram plantadas nas divisas de pastos e propriedades, outras foram plantadas na parte alta, para facilitar a sua futura dispersão para a parte baixa. Outras das espécies florestais plantadas foram cedro,vários tipos de candeia, canela, carvalho, ipê (amarelo e roxo), jacarandá, entre outras" (Gavazzi, 2012).


O trabalho de restauração ambiental da Fazenda Lavrinha começou pela implantação de quintal agroflorestal em volta da casa, com apoio de Vicente Paula Costa e sua família, todos nativos do Vale, da proprietária Nietta Monte e do geógrafo Renato Gavazzi. Foram plantadas mudas de muitas frutas e de espécies nativa da Mata Atlântica. Trabalho facilitado pela dispersão das sementes dos fragmentos importantes da mata existente na parte alta da propriedade e no seu entorno. Entre as espécies frutiferas plantadas, abacate, laranja, limão, cidra, mexerica, lima da pérsia, jabuticaba, pitanga, pêra, pêssego, caqui, marmelo, figo, ameixa, hoje em plena produção. Estas foram selecionadas para enriquecer e diversificar a alimentação da comunidade e atrair espécies animais e aves diversas.

  • Vista da casa nos anos iniciais e plantio do quintal agroflorestal no seu entorno

  • Entorno da casa hoje